Uma pesquisa recente do Datafolha aponta o Netinho de Paula (PC do B-SP) como o segundo candidato ao Senado em intenções de voto no estado de São Paulo. Acho que é prudente lembrar que este Netinho de Paula foi o terceiro vereador mais votado na cidade de São Paulo e que além de apresentar projetos pífios e mal feitos, foi um dos que mais faltou às sessões em 2010 — as informações são do projeto Adote Um Vereador.

Este candidato também agrediu o repórter Vesgo, do Pânico, durante uma entrevista – e foi condenado a indenizá-lo por isso. “A conduta do réu revela um descontrole que beira uma patologia psíquica e um total destemor às consequências de seus atos”, declarou a Justiça. Netinho também é lembrado por ter descido a mão na ex-mulher e está sendo investigado por suposto crime eleitoral, ao distribuir ingressos para shows em seu site de campanha.

Como se esses absurdos não fossem suficientes, Netinho agora se diz evangélico (e convenientemente arrependido), assim como uma cambada de políticos corruptos e criminosos que “encontram Jesus” e acreditam que seus crimes serão perdoados numa espécie de “foro privilegiado divino”. Mas essa blindagem cristã não nos engana, afinal, temos centenas de casos de crimes cometidos pelos ditos “evangélicos”, inclusive por pastores – vide Bispa Sônia e sua gangue da Renascer em Cristo que ainda não quitaram seus débitos com a justiça e se aproveitam da ignorância e desespero das pessoas pra enriquecer e tirar todo tipo de proveito.

O mais grave é quando o nosso presidente aparece em horário nobre da televisão condenando o preconceito contra a mulher e, depois, na maior cara lavada – ao lado de Dilma, Marta e Mercadante – pede votos para um agressor covarde como Netinho.

É por isso que afirmo publicamente que não voto em quem compactua com o crime. Não voto em Netinho de Paula, Marta Suplicy, Mercadante e Dilma Rousseff.

Anúncios