Adoniran Barbosa é considerado um dos maiores poetas do samba e da cultura paulista. E 2010, ano do seu centenário, que esperávamos ver mil homenagens no sambódromo, as escolas de samba de São Paulo praticamente ignoraram a data, ou seja, o samba de Adoniran não vai ser tema do enredo de nenhuma das escolas que disputam o Grupo Especial de São Paulo no Carnaval 2010.
Estudiosos e pesquisadores da MPB, assim como este que vos escreve, estão indignados com o desprezo dos sambistas paulistas. Adoniran é compositor de clássicos como Trem das Onze, Samba do Arnesto e Tiro ao Álvaro e responsável por colocar a capital paulista no mapa do samba no Brasil.
“Acho que não dá pra generalizar. A gente sabe que tem muita coisa em jogo no Carnaval de hoje em dia. Tem dinheiro envolvido, questões sérias de patrocínio. Mesmo assim, eu esperava que uma escola colocasse esse tema na avenida. Parece que algumas vão ter trechos de seus desfiles dedicados a ele, mas não é nada confirmado. Pelo menos, o sambódromo de São Paulo se chama Adoniran Barbosa (risos)”, comenta o jornalista Celso de Campos Jr., autor da biografia oficial do artista, Adoniran: Uma Biografia.
Perguntei – pelo twitter – à cantora Maria Rita, reconhecida pelo Estadão como “sambista de primeira”, o que ela pensa sobre situação toda:
“O que você acha das escolas de samba de SP ignorarem o centenário de Adoniran Barbosa, o maior poeta do samba paulista?”
“Não dá pra julgar as decisões das escolas, já que muito é considerado. Enredo, custo, autorização de espólio… Teria sido lindo!”
Pois é, “teria sido lindo”. Mas, as escolas de samba comerciais esqueceram de uma data tão importante, teve muita gente que lembrou, como mostra essa excelente matéria do Jornal da Record.