Não sei porque tanto circo em torno dessa história do Estadão ter declarado apoio ao José Serra. A imprensa americana faz isso há décadas, por que aqui isso seria impossível ou –arrisco– impensável? Declarar de que lado está numa disputa eleitoral mostra maturidade, coragem e respeito ao (e)leitor. Ou vocês acham que a Folha, Veja, Piauí e Carta Capital são menos parciais só porque não escreveram formalmente de que lado estão num editorial de domingo?

O fato é que –ênfase dessa parte– toda a imprensa se ofendeu com mais uma declaração estusiasmada do nosso presidente, mas o que se viu foram mobilizações isoladas e sem grande impacto. O único veículo que se posicionou declaradamente contrário à posição ditadorial do senhor Luis Inácio Lula Não-Falem-Mal-De-Mim da Silva foi o ‘Estado’. Uma atitude que deveria, sim, ser copiada pelos grandes jornais para pôr fim a essas enganação de imparcialidade jornalística.

É um direito do eleitor saber como o jornal que ele lê pensa e se comporta ante fatos de máxima importância como a democracia e a política deste país.